O QUE FAZEMOS

Conscientizar para Transformar

Queremos mudar o mundo, começamos pelo nosso! 


Encontro de Pessoas

É nos encontros que adoecemos, é nos encontros que nos curamos. Precisamos encontrar com nós mesmos, com nós nos outros. Essa é a base da nossa existência, amar e ser amado.

Expansão da Consciência

O que acontece ao nosso redor é bem maior, mais complexo e mais profundo do que imaginamos. Cada vez que aumentamos nossa consciência para dentro de nós mesmos, aumentamos nossa consciência para fora, para este todo maior coletivo do qual fazemos parte e estamos conectados. É preciso tomar consciência da nossa individualidade para perceber que ela é ilusória, fazemos parte de algo maior!

Transformação da Humanidade

A mudança começa dentro de nós, e se conecta com o todo no qual estamos inseridos. Mudamos o mundo através da sutileza, da verdade e da presença. É preciso dar estes três movimentos para nossa própria humanidade. Mudaremos a humanidade, começando pela nossa!

Práticas Coletivas

As práticas coletivas permitem nos conectar com partes de nós que foram perdidas, desgastadas, feridas, tortas, dilaceradas ao longo da nossa caminhada. Resgatar e curar essas partes é essencial para continuar nossa jornada aqui na Terra. É nos encontros que adoecemos, é nos encontros que nos curamos.


"Como ajudantes, temos a ideia de que devemos, a qualquer preço, manter uma pessoa viva e ajudá-la a ter uma vida feliz. Entretanto, ela está entregue a outras forças, diante das quais nossos esforços fracassam. Ao invés de nos vermos apenas diante da pessoa que busca ou necessita da nossa ajuda, olhamos para além dela. De repente, sentimos que há outras forças em ação, que são maiores que nós. Aí nos acalmamos. Muitas vezes, também conseguimos olhar de outra maneira para a criança, sem preocupações."

- Bert Hellinger


"A vida brota a partir de milhares de fontes vibrantes, entrega-se à todos que a agarram, recusa-se a ser expressa em frases tediosas, aceita apenas ações transparentes, palavras verdadeiras e o prazer do amor"
- Wilhelm Reich